Descobrindo onde é melhor vender

Chegando a conclusão que precisava de mais dados antes de sair vendendo pacote de marketing digital resolvi criar um case.

Com algumas peças de computadores sobrando em casa resolvi então iniciar um projeto.

01 Website mostrando os produtos.
Produtos:
x02 kits
Placa mãe: GA-H61M-DS2
Processador: Celeron G440@1.6ghz
Memória ram: 2gb kingston ddr 3 1333mhz

 

01 Anúncio no mercado livre

01 Anúncio na OLX free

01 Anúncio em comunidades de venda de artigos de tecnologia no facebook na região de Porto Alegre.

 

O website:

 

Blog post no site www.rodrigobaltazar.com.br contendo:
Foto dos kits

Vídeo dos kits funcionando

Informações

Preço

 

Preço: Após pesquisa estou colocando em torno de 10-15% mais barato que o preço de mercado e dada as condições dos produtos que estão perfeitos, acredito que venderei rapidamente.

 

A campanha de anúncios do google para o website:

 

Gastarei R$:10,00 durante 3 dias no google, totalizando assim um orçamento de R$:30,00 e colherei as estatísticas de visitação no website e posterior possível venda dos produtos.

 

Assim que se passar os 3 dias, chegando assim na data do dia 24 setembro de 2018 vou coletar as estatísticas de procura das quatro propostas.

Website + campanha no google
MercadoLivre

OLX
Facebook

 

Dia 15 de agosto de 2018: Aperte Start

Pilha de tijolos de uma construção sendo empilhados com cimento.

Não vou me esquecer que foi neste dia que iniciei os trabalhos nesta nova empresa, um dia após fazer 29 anos, empresário falido a 4 anos vivendo as sombras do que havia construído entre os 15 e os 23 anos. Em realidade pensando por alto o mérito foi muito pouco na construção dessas glórias do passado. Pegar uma empresa funcionando, apesar dos problemas e duplicar seu faturamento em alguns anos, melhorar os processos, criar sistemas mais eficazes para realização das tarefas, algoritmos para todos os lados, achei que tinha feito grandes coisas.

Mas o castelo foi construído em cima de areia e logo estaria no chão, havia saído alguns anos antes do encerramento das atividades, é verdade, mas o que gostaria de focar aqui são as sombras das quais vivi durante 4 anos, de 2014 a 2018.

Certamente não joguei 4 anos fora, resolvi cair forte nos estudos, linux, servidores linux, estágio em empresa de suporte formatando computador o dia inteiro e tendo 10% de contato com linux.

Estágio como administrador de redes um pouco de tempo depois.

Difícil sair de uma alta remuneração para ganhar bolsa de estágio, paciência sempre me acharam louco por não trabalhar pensando na remuneração, se hoje os empreendedores de palco pagam vexame no youtube e a startup da real manda altos pensamentos do que realmente acontece no mercado startupeiro, fica difícil saber o que é bom do que é ruim, a dica sempre vai ser estudar os clássicos e começar lá de trás com quem realmente fez a diferença.

Carl Segan tinha razão, antes de ler um livro, saber se o livro vai valer o esforço da leitura é um exercício que apesar de não ser fácil, traz bons resultados. Elon Musk que o diga, a história da biografia do cara é só uma história que não transparece realmente a realidade do que aconteceu, os vencedores escrevem a história e colhem os espólios também.

Hoje faz 26 dias que comecei a trabalhar novamente na construção de uma empresa, desta vez com meus próprios esforços, sem ajuda de familiares, tecnologia simples para um fim bem simples.

Negócio b2b (Business to Business) minha empresa vendendo para outras empresas alcançarem mais clientes, ter virado marketeiro é algo que não me deixa muito orgulhoso mas que culpa tenho eu se aparentemente meus clientes estão ocupados demais cuidando de seus negócios e deixam todo um mercado a disposição para que uma empresa tão simples venha e resolva um problema desses?

Montar uma empresa é quase como jogar minecraft imagino eu, você minera informação, organiza informação, dorme, olha para informação organizada, não gosta do que vê, provém uma melhorada, minera mais informação, organiza novamente, monta um pedacinho da empresa e por aí vai.

Porto Alegre vs Litoral

Fazendo 11 meses que decidi ir morar em Porto Alegre, as mudanças são nítidas, a velocidade do trabalho, produção e alcance das ideias também.
É complicado sair do litoral norte do rio grande do sul para ir morar em um lugar maior, no litoral tudo é mais devagar, certos problemas não existem, a segurança funciona muito melhor, trânsito praticamente inexistente.

Porém a quantidade de pessoas falando e discutindo assuntos dos quais nos interessam é maior, não ficar restrito a um círculo das mesmas pessoas todos os dias abre a visão para ideias diferentes e essa explosão de ideias podem se tornar algo maior.

A internet é uma ótima saída para quem por qualquer maneira não pode ou quer ir a uma cidade maior, e ela deve ser utilizada, se não há um grupo na sua cidade, nada impede que você inicie um, de maneira simples, faça uma pesquisa sobre grupos, encontre os interessados, marque um horário em algum lugar e façam acontecer.

 

Quando o assunto é faculdade temos essas duas opções.

 

Se nossa opção for dar um play game, que seja jogar para ganhar e aqui este quem vos narra confessa que nem sempre tem vontade de jogar para ganhar, muitas vezes o relaxamento, a falta de motivação devido a desencontro de interesses entre o que é ensinado na faculdade e  o que gostaria de aprender no momento acontece e aí a vontade é de dar /quit e chutar o balde.

A faculdade nos leva muito tempo de nossas vidas, e na tecnologia, um ramo totalmente não regularizado e onde praticamente o  material se encontra na própria internet, a menos que você queira pesquisar tecnologia de ponta, imagino eu.

Os prós e contras da faculdade escutamos de muitas pessoas, alguns profissionais com muito tempo de mercado, outros que só repetem o que terceiros dizem, o que escutava de meus amigos era que o conhecimento poderia ser adquirido fora da faculdade, porém o networking, a irmandade formada, as amizades de pessoas que te entendem, isso se você for optar por estudar em casa sozinho você não terá e nós vivemos em um mundo de pessoas, as pessoas fazem coisas, alguém fazendo alguma coisa sozinho é caso isolado, está cada vez mais difícil se fazer algo sozinho, e aprender a trabalhar em equipe desde cedo é muito importante, aprender a conversar, expor suas idéias sem achar que estão indo contra você, na faculdade terás anos para pores isso em prática, a única coisa que tem-se de pensar mesmo é que não pode deixar tudo acontecer por conta pois por conta nada acontece.

Hoje na data que publico isto é o que penso, quem sabe a experiência me trará novos pensamentos.

Gerenciar Equipes

Atualmente estou lendo um livro chamado Criatividade S A.

É muito estranho olhar para autores que gostamos e que mudaram seus campos de atuação, imaginamos o quanto estudamos e quão longe estamos do determinado conhecimento que aquela pessoa a qual estamos colocando em um pedestal está.

Comigo não é diferente, leio Amy Wallace e o  Edwin Catmull, autores do livro e fico apavorado com o quanto tenho para apreender ainda, mas o processo de aprendizado não é uma corrida.

Quando estamos gerenciando equipes, todo conhecimento prévio é muito importante para saber que decisão tomar na melhor hora possível para alcansar então o melhor resultado.

Eins que nem sempre é possível, mas ter um mapa mental da sua equipe na cabeça, sabendo os pontos fortes e fracos de cada membro é muito importante, Steve Jobs não gostava de trabalhar com equipes maiores que 100 pessoas, e ele se esforçava para ter apenas notas 10 em sua equipe.

Sabendo os pontos fortes e fracos de cada membro de sua equipe, ainda tem o desafio de coloca-los na função certa e necessária no momento.
Mas a decisão mais importante imagino eu é trabalhar com as melhores pessoas possíveis, li no criatividade SA.
“Uma equipe boa pega uma idéia mediocre e executa perfeitamente, ou arruma uma idéia melhor”
“Uma equipe ruim pega uma ótima idéia e a estraga na execução”

Penso muito sobre isso, temos equipes todos os dias, basta fazermos algo em um grupo igual ou maior de duas pessoas e pronto, temos uma equipe, e liderar não é fácil.

Silicon Valley Osoriense

 

Não sei se você já assistiu o seriado Silicon Valley mas é basicamente um seriadinho da HBO que fala do ambiente de startups no vale lá em São Francisco – EUA.

Só que é muito bem construído e hoje 15-05-2017 ele está na quarta temporada, é bem engraçado, principalmente para quem entende as piadas nerds que eles fazem.

 

Mas passando essa introdução sobre o seriado, venho aqui despender minhas idéias, pois neste seriado da HBO, mostram um empreendedor americano que vendeu uma startup por uma grana, comprou uma casa e transformou numa incubadora.

Então existem lá desenvolvedores que moram de graça na casa dele e trabalham em seus próprios projetos de startup.

 

O que me lembra de um sonho antigo que eu compartilhava com um grande amigo, que era o de morar em uma casa grande, com vários quartos, onde todo mundo fosse da TI e por consequência todo mundo nerd, o quão legal seria isso?

 

Só que o modelo descrito no seriado faz muito mais sentido e eu me pego pensando se funcionaria em osório, depois paro para pensar que não conheço ninguém com os recursos para despender uma casa e o sonho começa a se desmanchar.

 

Osório não é o lugar com mais oportunidades de emprego para programadores no RS, por outro lado vivemos na era da internet e ficar limitados a um mercado do tamanho de Osório em pleno 2017 é pensar muito pequeno, eu cito Donald Trump aqui com o pense grande, podemos achar que o cara é maluco, lunático e doido, mas que ele pensou grande, pensou.

 

Agora dando uma sintetizada no que escrevi.

Uma casa.
Alguns quartos.
Uma sala grande em comum.
Uma cozinha.

Internet de alta velocidade.

 

Vários programadores morando nela e tocando seus projetos, convivência full time de nerdice e tals.

Projetos sendo desenvolvidos nessa casa, como são os sonhos.

 

Peguei meu primeiro sistema como programador profissional.

keep calm, i'm a profissional

Comecei a estudar programação mais seriamente por volta de 2014, mas já havia tido um contato antes em 2011 no curso técnico, porém tudo pareceu extremamente complicado, a teoria básica parecia bem simples, mas na hora de gerar código tudo se dificultava e acaba por não saber para que lado ir.

Isso significa que fui ver meu primeiro html com 22 anos e achei que programação não era para mim. Depois com 25 anos resolvi mudar de carreira, abandonar uma carreira de relativo sucesso porém sem prazer como gestor para me aventurar novamente na minha paixão de criança. Agora queria ir mais fundo, estudar de verdade, botar vontade, baixar a cabeça e apreender.

Mas a vida é uma surpresa, e tudo estava muito difícil, eu me achava muito inferior aos meus colegas mais jovens que estavam entrando na universidade agora, eles pegavam o conteúdo mais rápido e a comparação foi se tornando algo quase surreal, eu estudava mas não conseguia botar a mão na massa.

Sempre tive muitas idéias e como já estava me achando um tanto quanto ultrapassado para começar a programar eu precisava pular etapas, queria ir mais fundo e mais rápido que todos, então eu lia nos 4 ônibus que pegava por dia, 2 para o trabalho 1 para a faculdade e 1 para voltar pra casa.

Mas não adianta não conseguia dar o salto e de fato começar a programar, não sabia o que me faltava e por não saber o que não sabia acabava travado.

Então agora no final de 2016 conversando com um amigo ele me fala de um problema que enfrenta em sua empresa, nada de rocket science, e eu penso, cara não sei fazer isso mas certamente posso apreender e falei que iria ajuda-lo.

Peguei um projeto sem saber nada de como executa-lo, mas muito tempo já havia passado e eu precisava de um choque, de um vai ou raxa, de um empurrão da vida dizendo: – Tu vai aprender a programar ou vai ficar formatando computador pro resto da vida!? (É com isso que sobrevivo hoje em dia)

Então vamos aos fatos:

-> Não sabe programar de fato.

-> Pegou um projeto que um profissional faria em umas 5-10 horas de trabalho.

-> Se colocou no compromisso para entregar, já que não vai deixar o amigo na mão.

Cálculo pelo que já fiz até hoje que vou demorar em torno de 40 horas reais para entregar esse projeto, mas ele está caminhando, não consigo trabalhar mais que 3 horas por dia, me cansa, a cabeça da um nó, quando levanto da cadeira depois de ficar exausto mentalmente parece que nem sei aonde estou, normalmente saio para correr ou vou fazer algo que não precise do cérebro de maneira alguma.

Graças ao www.matehackers.org que descobri esse mundo maravilhoso, e muitos amigos de lá sentaram por horas do meu lado tentando me explicar algo que não entrava na minha cabeça de jeito nenhum, mas mesmo assim eles nunca desistiram de mim e mesmo estando longe dos amigos agora, ter sido iniciado na cultura open source me fez despertar para muitas coisas encantadoras.

E agora? Estou finalmente dando um grande passo na minha carreira, estou com tudo fresquinho na cabeça e numa cidade muito pequena, mas aqui por ser uma cidade centralizada tem um instituto federal, então me vi na missão de recrutar alguém que estivesse começando na carreira, como eu já estive a pouco tempo atrás e chamar essa pessoa pro meu lado e passar o que eu sei, tudo aconteceu naturalmente e um conhecido que iniciou o primeiro semestre agora veio me fazer umas perguntas, então todos os dias que eu vou programar eu tento chama-lo e explico absolutamente tudo que sei, da melhor maneira que consigo, às vezes passamos mais de uma hora só conversando, respondo as perguntas que sei, as que não sei pesquisamos, me sinto honrado de estar ensinando, assim como já fui ensinado, acho que o pessoal do matehackers ficaria orgulhoso de me ver passando a frente a cultura hacker.

Fiquei receoso de estar jogando muita informação na cabeça do meu amigo, mas como ele está voltando quando convido acho que ele está gostando.

Agradeço do fundo do coração a toda comunidade open source, sem as palestras grátis, sem os posts nos blogs, sem o apoio da comunidade em si, eu já teria desistido a muito tempo.

Todos amigos do mundo da tecnologia dizem que eu faço muito drama, mas o drama é meu e parece que finalmente venci a etapa de engatinhar, cair, levantar e seguir em frente de joelhos ralados, mas sem a ajuda do pessoal eu seria mais um que tombou por não acreditar que era possível.

É normal demorar a apreender a programar

Não se assuste se você não estiver fazendo muitos progressos nos seus estudos.

É natural a demorar, em recente pesquisa da stack overflow, ficou claro que a maioria dos programadores levam alguns anos programando em casa antes de arrumar o primeiro emprego na área.

Sempre existirão as exeções a regra, mas é isso que elas são, exeções, não devemos nos sentir mal por estarmos demorando em atingir um objetivo, tudo há seu tempo e devemos nos lembrar que neste caso o caminho realmente é mais importante que o destino.

Esteja você iniciando agora ou tenha começado na área a algum tempo, o conhecimento vem de inumeras formas, mas sem dedicação e empenho ele não cairá do céu ou brotará da terra. Só depende de você para que tudo que você sonha em apreender seja aprendido.

Organização é importante, estar bem consigo mesmo também.

Sobre protelar/adiar

A muito tempo venho protelando algumas coisas que prometi a mim mesmo que faria, já que esta semana estou numa onda de motivação vou deixar este post aqui para termos uma data marcada de que eu me lembrei da protelação e não fiz mesmo assim.

Vamos ver como me saio em terminar estas coisas. Coisas estas que revelarei quando terminar, só para fazer um mistério, mas deixo uma sinopse, é tudo trabalho de programação, desenvolvimento de sites e afins.

 

Motivação e código

Nem sempre é fácil sentar e começar a fazer o que precisa ser feito.

 

Seja por inúmeras razões a verdade é que nem sempre estamos dispostos a codar, os requisitos estão levantados, você sabe o que tem de fazer mas a vontade não vem.

Uma pesquisa recente da stackoverflow mostrou que os programadores que programam por puro hobby são minoria, mas há luz no fim do túnel para você que ainda não gosta de programar.

Lá por 2014 eu comecei a mexer com servidores linux, achava um máximo, mas era ruim e era muito cansativo, resolvia tudo da maneira que desse, o importante para mim era funcionar, funcionou está beleza, segurança é secundário (não é), quando estamos aprendendo é assim que funciona, primeiro fazemos funcionar e vamos indo, preenchendo vácuos de conhecimento em nosso cérebro e indo para frente.

Hoje em 2017, três anos após aquela primeira incursão pelo mundo linux a evolução é nítida, já consigo me preocupar com assuntos mais sérios, não demoro horas para resolver coisas bobas e consigo fazer em 1 hora o que levaria umas 4 anteriormente.

Espero que com programação seja assim também. Há esperança.